O clima está tranquilo e favorável?


Publicado em 18 Agosto de 2022
Compartilhe:            

O clima está tranquilo e favorável?

Autora: Kellen Dionísio – Psicóloga (CRP 09/003484) - PUC GO, Me. em Administração pela UFG, Mentora de Carreira e Consultora de RH

 

Para quem estava no Brasil em 2017 certamente escutou o bordão da música do MC Bin Laden: “tá tranquilo, tá favorável”. Refrão que viralizou e foi repetido em bate-papos informais e até em alguns momentos mais formais. A música deixa a mensagem que a situação ou ambiente está com clima positivo, em uma expressão mais atual, seria uma “vaibe boa”.

Infelizmente este não é um bordão mais adequado neste momento pós-pandêmico, também é algo distante de ser traduzido como um espelho que traduz o clima das organizações. Se tratando de ambiente de trabalho, sabemos que este não precisa estar 100% positivo para ser saudável, visto que os desafios e as dificuldades também proporcionam o crescimento humano e dos negócios. No entanto é importante que as empresas e trabalhadores fiquem atentos a fatores que desestruturam o equilíbrio entre o desempenho e a saúde.

O clima organizacional deveria ser tão cuidado quanto a busca por melhor desempenho. Pesquisas apontam o bem-estar no ambiente de trabalho como influenciador direto da capacidade dos trabalhadores em melhorarem seus resultados. Porém, além de influenciar o desempenho, também é importante destacar os impactos sobre a saúde dos profissionais. Elementos existentes dentro de empresas, como justiça na distribuição de ganhos, tempo de dedicação na jornada de trabalho, interferência do trabalho sobre a vida pessoal, estilo de liderança e exaustão emocional são um dos elementos destacados por pesquisadores que investigam as interferências diretas e indiretas sobre o adoecimento psicológico no trabalho

Na matéria da revista Exame de dezembro de 2020, no final do primeiro ano pandêmico, destaca dados da Workana, plataforma que conecta freelancers a empresas da América Latina, apontou que 43,7% do grupo pesquisado apontaram algum tipo de adoecimento metal, causados por: “incertezas quanto à economia, à saúde, à segurança no trabalho;  queda na produtividade; sensação de instabilidade; necessidade de os profissionais se dividirem entre afazeres de casa, atenção à família, videoconferências”. Outra matéria da revista Exame, mais recente, agosto de 2021, revela dados da Secretaria Especial de Previdência e Trabalho de 2020, foram 576 mil pessoas afastadas do mercado de trabalho por conta de adoecimento mental, um aumento de 26% em comparação a 2019. 

O século XXI trouxe muitas transformações ao mercado de trabalho, internet, automatização, redes sociais, smartfones, todas estas mudanças provocaram alterações no comportamento humano, intensificadas agora com a experiência do isolamento social provocado pela recente pandemia. Sobre este aspecto, os dados da Workana revelaram que a pandemia trouxe transformações positivas, aos olhos do 71% dos pesquisados, afirmando que a flexibilidade na modalidade de trabalho, remota ou híbrida, como sendo uma boa possibilidade de ter qualidade de vida, conciliar melhor a vida profissional e pessoal. Esta é uma das tendências que as empresas precisam ficar atentas, que as pessoas necessitam, cada vez mais de ambientes mais flexíveis e que possam conciliar os diversos aspectos da vida. Além de outros aspectos que a área de Recursos Humanos e empresários podem se atentarem para cuidarem do clima da empresa.

No artigo “Clima organizacional e estresse em equipes de trabalho”, apontou quatro fatores preditivos para relacionar ao aumento ou não do estresse no trabalho, através da teoria de Tordera, González-Romá e Peiró (2008), que faz as seguintes observações:

  1. Promoção, recompensa e benefícios – as empresas devem adequar o plano de remuneração e benefícios, focando, principalmente na justiça. Equilibrar a distribuição não significa, necessariamente, ser igual para todos, mas ser compatível com as diferentes necessidades. Por exemplo, existem tipos de benefícios que atendem melhor o público operacional, como um bom restaurante na empresa, já para outros times, acesso a cultura e lazer pode ser um diferencial, como analistas ou especialistas.
  2. Relacionamento com os pares – tornar o clima entre os times respeitoso e saudável é parte fundamental para um bom clima organizacional. Aqui se refere ao espírito de equipe e sentimento de pertencimento. As empresas aqui podem fazer ações eficazes de integração de novas pessoas ao time ou rodízio contínuo entre as áreas. O estabelecimento de metas coletivas e não individuais também é uma poderosa ferramenta.
  3. Características da tarefa – o tipo de tarefa realizada, sendo ela mais criativa, individual, coletiva, enfadonha ou desafiadora também interfere na maneira do trabalhador se reconhecer e relacionar com a tarefa. Por isto, é importante propor ações alternativas para compensar uma tarefa mais exaustiva por exemplo, com escalas ou jornadas mais reduzidas. Podemos utilizar como exemplo a função de Operador de Caixa de supermercados, reconhecido como um trabalho repetitivo e mais exaustivo, com uma jornada mais reduzida poderia ficar mais equilibrada, como ocorre em trabalho similar em exaustão mental de Call Center com carga horária de 6 horas.
  4. Relacionamento com a liderança – este é um fator de profunda interferência na saúde do trabalho, o autor Daniel Goleman, referência no estudo da Inteligência emocional, ao tratar do tema ligado a liderança afirma que a habilidade social, é capaz de influenciar não somente a performance de seus liderados, como também impactar na saúde psicológica de todo ambiente organizacional. A habilidade do líder em seu empático com as pessoas e demonstrar que se importa com o bem-estar do seu time traz mais motivação e sentimentos positivos ao trabalho realizado, mesmo em situações de pressão ou desafios.

Dos quatro fatores, o último é apontado como o de maior interferência no nível de estresse do time. O líder que tem maior habilidade socioemocional para mediar conflitos, oferecer orientação e feedback positivo, terá chances de ter um time de altaperformace e também mais saudável.

Por fim, tranquilo e favorável, o ambiente organizacional não se tornará integralmente, até por que o mundo do trabalho sofre as turbulências do mercado global. Porém, aplicar algumas ações, poderá tornar o ambiente de trabalho mais equilibrado, tanto para a saúde do profissional como para os resultados do negócio.

 

Dos quatro fatores, qual você consideraria mais favorável em sua empresa? Qual você considera que é mais relevante para você?

Contribua em nossas redes sociais para ampliarmos a discussão sobre o tema e provocarmos mais mudanças e saúde no mundo do trabalho.